Principal Bons Cursos Notícias downloads grátis   Idiomas CONTATO
Economia Conceitos econômicos Ciclos econômicos Tipos de economia Política econômica Macroeconomia Micro economia
Capitalismo Socialismo Organização econômica História da economia Teorias do Capital Neoliberalismo  

PROMOÇÃO ESPECIAL:  

Na compra de cada apostila via e-mail, no valor de R$10,00, você pode escolher qualquer outra para receber grátis. 

Para efetuar a compra de cursos, manuais e apostilas digitais, clique aqui.

 

TIPOS DE ECONOMIA 

 

Economia Mundial

 Conjunto de atividades econômicas desenvolvidas em todo o mundo. A forma de ganhar dinheiro, de obter rendimentos, de gastá-los ou poupá-los para obter riqueza, depende de como o dinheiro é ganho, gasto e poupado no restante dos países. Estes vínculos internacionais existem há muito tempo, mas, devido às mudanças de natureza, a sua intensificação e ampliação, a economia mundial atual é bem diversa da economia internacional anterior.
Ao abordar este tipo de economia, estão sendo abordadas as relações internacionais existentes desde o surgimento do comércio, e também é afirmado que a produção, o consumo, o investimento, as finanças e qualquer outra atividade econômica estão organizadas em escala mundial.

 

 Isto significa que as instituições nacionais possuem poder restrito para influir sobre sua própria atividade econômica. Os governos têm pequena margem de manobra para mudar o nível de emprego ou mudar o saldo da balança de pagamentos, através de sua política fiscal ou monetária. São necessários, portanto, acordos com outros governos ou, no caso de países com economias frágeis, adequar-se ao movimento econômico mundial de acordo com as condições impostas pelas instituições internacionais, mais concretamente o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD). Por outro lado, as empresas nacionais estão sendo substituídas por grandes multinacionais.
Existem três importantes mecanismos integrando a economia mundial: o comércio, a produção e as finanças. O comércio é medido pelas exportações e importações de bens e serviços. É freqüente a idéia de que o comércio internacional está limitado ao intercâmbio de bens acabados, mas o correto é que uma elevada percentagem das transações é produzida pelo intercâmbio de bens produzidos em vários países e montados em outros que, por sua vez, exportarão o bem acabado a outros, fato que reflete a globalização do próprio processo produtivo. Isto significa que as grandes corporações multinacionais produzem cada componente do produto no país que lhe ofereça melhores condições para sua fabricação. Quanto às finanças, a operação internacional mais simples é a compra e venda de divisas.

As condições econômicas predominantes em cada país dependem em grande parte do que ocorre na economia mundial, refletida no comércio internacional, na produção global e nas finanças internacionais. Outros fatores que contribuem para a integração da economia dos diversos países em uma única economia mundial, são as migrações e a difusão internacional da tecnologia. Embora ocorra esta integração, o resultado não é homogêneo, como o demonstra o crescimento desigual econômico dos diferentes países, permitindo que alguns enriqueçam enquanto outros empobrecem.

 Economia de Mercado

Modelo econômico segundo o qual, com exceção de determinadas atividades consideradas próprias do estado (como a defesa nacional, a promulgação de leis e a manutenção da ordem pública), todas as demais atividades e as transações econômicas dependem da livre iniciativa das pessoas, para alcançar seus objetivos econômicos da forma considerada a mais apropriada, sem a intervenção do governo. Neste contexto econômico, os indivíduos decidem livremente questões relativas ao emprego, à utilização de seu capital e de seus recursos; por exemplo, como distribuir os lucros entre a poupança e o consumo e como escolher para comprar entre os diferentes bens oferecidos.

Há controvérsias sobre quais atividades são de competência do Estado e quais cabem à iniciativa privada. O direito à liberdade e à segurança, constituindo direitos fundamentais, não pode estar sob o controle do mercado, pois não pode depender do poder aquisitivo do indivíduo. Da mesma maneira, os direitos humanos — por exemplo, o direito à vida e, portanto, a uma saúde pública mínima — requerem a intervenção do Estado na prestação de serviços médicos privados.
Quando atividades econômicas são desempenhadas por empresas do setor privado, torna-se necessária uma regulamentação pública para impedir, por exemplo, a apropriação indébita de propriedade.

 

 

 

  Bebidas e-books Esotéricos Esportes Gastronomia Genealogia Livros usados Receitas Serviços